9 de outubro de 2009

Governo Brasileiro libera para consulta pública arquivos ufológicos referentes ao Caso Vasp Vôo 169

O UFO acompanhou o vôo por horas
Desde o dia 25 de setembro passado, graças à Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU) e a campanha UFOs: Liberdade de Informação Já, os arquivos confidenciais ufológicos da década de 80 estão sendo compilados pelo Arquivo Nacional e estarão disponíveis publicamente. Considerada uma das mais ricas na casuística nacional, contém, em uma de suas pastas, o Caso Vasp – Vôo 169, sobre o qual comentamos a seguir.

Ocorrido na madrugada de 08 de fevereiro de 1982, o Caso Vasp Vôo 169 é até hoje um dos mais extraordinários episódios da Ufologia Brasileira. O fato se deu quando o Boeing da extinta companhia aérea paulista Vasp fazia um vôo noturno entre Fortaleza e São Paulo, com duas escalas. O avião foi seguido por quase duas horas inteiras por um objeto voador não identificado de brilho intenso, que surgiu inicialmente à sua esquerda, na altura de Petrolina, no interior de Pernambuco, e realizou inúmeras manobras. Com quase 150 passageiros a bordo, a aeronave foi seguida ininterruptamente até a primeira escala, em Belo Horizonte, tendo o UFO continuado sua perseguição quase uma hora depois, após o Boeing decolar rumo ao Rio de Janeiro, sua segunda escala. O comandante era o veterano Gerson Maciel de Britto, que na época acumulava mais de 26 mil horas de vôo e era considerado um dos pilotos mais experientes da empresa. Um avião da Aerolíneas Argentinas, vôo 169, confirmou a presença do UFO e, mais tarde, outra aeronave, desta vez da Transbrasil, vôo 177, reportou a presença do estranho objeto, que para finalizar foi detectado pelos radares em solo.

Leia mais detalhes, clicando aqui.

Assista reportagem da época: clique aqui.

De lá pra cá, além do precioso e minucioso estudo realizado pela Equipe UFO, com entrevistas às testemunhas, passageiros e tripulação, de documentos e relatórios oficias, gráficos, trajetórias comprovando a hipótese ufológica de maneira indubitável e diversas edições da Revista UFO abordando cientificamente o caso, muitas coisas foram ditas, teorias aventadas e céticos de carteirinha colocando até hoje o planeta Vênus como causador da “alucinação coletiva”. Resultado: mais uma vez, a linha contrária à tese ufológica mostrou-se equivocada e completamente despreparada para lidar com o fenômeno, pois simplesmente não aceitam a hipótese extraterretre e ponto final, é algo inconcebível, intolerável a presença de seres inteligentes que não sejam terrestres em nosso meio e, principalmente, no deles.

Entretanto, perante uma sociedade cada dia mais esclarecida e consciente, o escancaramos de forma definitiva em mais este fato. Nos relatórios confidenciais e transcrições oficiais deste evento, que acabamos de ineditamente verificar, é estarrecedora e impactante a constatação de que entre os dias 08, 09 e 10 de fevereiro de 1982, o Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo (Cindacta) detectou em suas telas de radares, não um, mas oito plotes. Ou seja, temos aí mais provas de que o Fenômeno UFO esteve envolvido completamente, não só com o marcante evento principal, como também com outros que sequer imaginávamos e agora surgem de forma patente.

Nas páginas referentes ao Caso Vasp Vôo 169, encontramos em detalhes as transcrições da comunicação entre pilotos e torres de comando, inclusive com uma fala interessante do comandante Britto, durante contato no dia 08, onde o próprio praticamente pede ao Cindacta pra não haver imprensa nas escalas e comunica que não informou nada aos passageiros - justamente ao contrário do que fez e agiu posteriormente. Aqui está o relatório do Caso Vasp Vôo 169: www.ufo.com.br/public/voo169/voo_169.pdf . Agradecemos ao consultor da UFO, Cláudio Brasil, pela compilação do material.

1 comentários:

Tata disse...

acredito que o fato mais importante para a luta pela liberdade de informação foi a desclassificação de documentos ufológicos por parte dos governos, principalmente o brasileiro, contudo a falta destes documentos serem fornecidos por um site ou página do governo acaba dificultando um pouco o nosso trabalho de informação. podemos fazer o download e divulgar, mas quando perguntam a fonte? se é de alguma página ou site do governo, diante da negativa e diante do fato dos documentos estarem sendo fornecidos por um site de ufologia, o mesmo fato inédito, histórico, primordial, acaba perdendo crédito e acabamos encontrando novamente outra resistência do público quanto a um fato que poderia representar o marco na nossa luta. espero que realmente o mais breve possível o governo, o arquivo nacional possa estar publicando e deixando esses mesmos documentos revelados pelo site UFO, para que então as pessoas possam confirmar que realmente a fonte é do governo. mesmo assim muito obrigada pelo esforço descomunal que sempre estiveram fazendo. porque mesmo assim, ainda continua sendo uma tarefa árdua e quase impossível.