6 de julho de 2010

Goldman Sachs: Os piratas do veneno no Golfo



A Nalco Corporation de Illinois é responsável pela dispersante químico COREXIT 9.500 destaque pelos especialistas como sendo quatro vezes mais tóxico do que o óleo que está fluindo para o Golfo. Os cientistas em audiências no Congresso acrescentaram que o dispersante é mais tóxico do que dispersantes similares no mercado. Naturalmente, sempre que uma catástrofe de grandes proporções acontece - especialmente quando as soluções principais, que são alterações que envolvem a sociedade - é preciso seguir o rastro do dinheiro e do poder de quem se beneficia. Se não é o bastante, uma pesquisa informal do site da web revela a história da empresa Nalco, que leva diretamente à ligação com a Goldman Sachs.

O monstro de tres cabeças, Goldman Sachs, veio à tona a partir da erupção do 'vulcão de petróleo' do Golfo.

http://4.bp.blogspot.com/_qLAIskTQXUc/TCvgsbldB7I/AAAAAAAAAWs/YfKj0Pxu1zA/s1600/800px-hercules_slaying_the_hydra.jpg

Nalco começou em 1928 em Chicago e tornou-se imediatamente envolvida no ramo da indústria do petróleo como também em instalações de tratamento de água. Em 1982 parece ter acontecido uma virada enorme em seu segmento produtivo, como em seu site afirma: "O 'ORS-419' é usado nos pneus do ônibus espacial Columbia. O produto é o único feito sem base em silicone em seu tipo no mercado, aprovados pelo fabricante do pneu do ônibus espacial ". Daí em diante, as coisas realmente parecem ter mudado, conforme mostrado aqui:

1983: A Nalco compra um grande terreno de 300.000 metros quadrados montando um novo edificio sede em Naperville, representando um investimento total de US $ 90 milhões.
1984: Nalco apresenta a PORTA-FEED®, sistema de contentores reutilizáveis, produto químico e mais avançado sistema de tratamento de líquidos introduzido até então.
1985: Nalco lidera a indústria química no desenvolvimento da Caer (Community Awareness and Emergency Respons), um precursor do Planeamento de Emergência Comunitária conforme o ato Right-to-Know de 1986 e a CMA Iniciative Responsible Care ®.
1986: Nalco consolida grupos da Divisão de Produtos Químicos, Energia e Divisão de Serviços de Campo de Petroléo, para formar uma nova divisão de Químicos de Petróleo tendo sede em Sugar Land. A nova Divisão Química de Petróleo inclue a Visco Químicos, Refinaria de Produtos e Processos Químicos, Aditivos, Adomite Químicos e de outros grupos de Gás de Petroleo e manipulação de produtos químicos.
1989: Vendas na faixa de US$ 1 bilhão.

Então, em 1994, juntou forças com a Exxon Chemical para anunciar a formação de uma nova aliança "Nalco/Exxon Energy Chemicals, LP para fornecer produtos e serviços para todas as facetas do petróleo e de gás natural."

Outra mudança de nome ocorreu em 2001, quando a empresa se tornou Ondeo Nalco. Finalmente, em 2003, aprendemos que tomou as rédeas para conduzir-nos para o presente. No seu site diz: "Blackstone Group, Apollo Management LP e Goldman Sachs Capital Partners compra a Ondeo Nalco".

As vendas mundiais já ultrapassam US$ 4 bilhões e a limpeza do Golfo está nas mãos de um grupo de "amigos" corporativos que trouxeram-nos momentos tão "bons" para a humanidade como "O devoramento capitalista da Blackstone", aquisição hostil, que provocou uma grande reação política na Alemanha e em outros lugares, e a nova proposta de medidas de austeridade que vem para a América. Apollo Management está no Wall Street Journal: Quem é quem em Private Equity com uma estratégia de investimento muito "humana" de aquisições de investimentos angustiantes - os investimentos chegaram a US$ 37 bilhões. E, até agora, a reputação da Goldman Sachs precede-se como tendo projetado o crash da habitação e agravando uma crise financeira na Grécia e em toda a Europa.

No entanto, a criação mostruosa chamada Goldman Sachs é capaz de criar lucros exponenciais com o desastre físico do Golfo. Os reis do mercado de carbono - sim, esse mercado que comercializa somente o ar - não tiveram uma boa temporada época para empurrar o aquecimento global a nossa goela abaixo. No Golfo, no entanto, junto com sua marionete, Barack Obama, bem posicionada para dirigir o navio do pirata de volta ao curso. Foi Obama que ajudou a financiar o programa de carbono desde o seu início antes de tudo. Bem na hora, a campanha por email de Obama é lançada para explorar o sofrimento a mando de seus controladores da empresa.

Estamos vivendo mais um exemplo de como o comando corporativo internacional e o sistema de controle agem, onde até os esforços de resgate mais básicos estão nas mãos dos piratas inescrupulosos. Também ficou claro que a frota pirata é de propriedade da Goldman Sachs. . . e o presidente dos Estados Unidos é o capitão.


Fontes relacionadas:

Site Oficial de David Icke Goldman Sachs: The Pirates of Poison in the Gulf
Activist Post: Goldman Sachs: The Pirates of Poison in the Gulf

0 comentários: